Twitter Facebook YouTube RSS
Mídias SociaisNotícias
13/jul/2012

Por que as redes sociais vão redefinir as Olimpíadas desse ano

As Olimpíadas de 2012 em Londres estão sendo considerados a “primeira edição social dos jogos olímpicos”. Sem dúvida, redes sociais como Facebook, Twitter e YouTube vão exercer um papel muito relevante em como as informações são disseminadas a partir de Londres, e como a conversa sobre os jogos ao redor do mundo vai se dar. Por que tanta mudança? É simples: quatro anos é muito tempo quando se trata de Internet, e desde as últimas Olimpíadas de verão, em 2008, as redes sociais explodiram, no bom sentido.

O uso da web em geral cresceu rapidamente também. Em 2008, havia em torno de 1.5 bilhões de usuários da Internet no mundo, segundo a ITU (órgão de telecomunicações da ONU), representando cerca de 23% da população mundial total. Nesse ano, durante as Olimpíadas esse número vai ter pulado para 2.3 bilhões de usuários, aproximadamente um terço de toda a população.

Para ter uma ideia de como as redes sociais vão mudar a edição desse ano dos jogos, seria interessante compararmos como as principais redes eram em 2008 e como elas estão agora…

Facebook

2008: O Facebook estava comemorando a marca de mais de 100 milhões de usuários registrados. 2008 também foi marcado por várias notícias sobre como o – pasmem – MySpace estava sendo ultrapassado pelo Facebook em popularidade. A rede social também estreou sua funcionalidade de chat naquele ano.

Hoje: O Facebook afirma que já possui mais de 900 milhões de usuários registrados, está cada vez mais se tornando a porta de entrada para toda a web e a empresa foi lançada na bolsa de valores. O fundador, Mark Zuckerberg, é uma celebridade global.

Twitter

2008: Ano de crescimento explosivo do Twitter, e ainda assim terminou o ano com cerca de 6 milhões de usuários registrados, que mandavam cerca de 300 mil tweets por dia. Alguns blogs ainda explicavam como funcionavam as @replies.

Hoje: O Twitter afirma que os mais de 500 milhões de usuários já são responsáveis por cerca de 400 milhões de tweets todos os dias. Notícias sobre esportes normalmente vazam primeiro na rede, o Twitter virou uma das principais ferramentas de marketing para atletas e grande parte da conversa ao redor dos jogos olímpicos deve acontecer por lá.

YouTube

2008: Naquele ano, usuários enviavam cerca de 10 horas de vídeo para o site a cada minuto, e o YouTube havia sido comprado pelo Google fazia dois anos. Também foi o ano de lançamento da versão móvel do site, anúncios antes dos vídeos e resolução em alta-definição dos vídeos.

Hoje: Quatro anos depois, os momentos mais icônicos das Olimpíadas certamente vão ser imortalizados no YouTube. O site afirma que recebe mais de 800 milhões de visitantes únicos todos os meses, que assistem mais de 3 bilhões de horas de vídeo mensalmente e enviam cerca de 72 horas de vídeo por minuto. O equivalente a 500 anos de vídeos do YouTube são assistidos através do Facebook todos os dias e mais de 700 vídeos da rede são compartilhados no Twitter a cada minuto.

O que tudo isso significa?

Somente observando o crescimento das três principais redes sociais do momento, podemos perceber como muita coisa mudou desde os últimos jogos olímpicos de verão, em 2008. E isso sem contar novas redes sociais que nem existiam naquela época, como Pinterest, Foursquare e Google+. Durante as Olimpíadas desse ano, notícias provavelmente irão ser transmitidas primeiramente pelas redes sociais e recordes de compartilhamento certamente serão quebrados. Como será que vai ser em 2016?

Fonte: Mashable